Analytics, Ads e Redes Sociais: comece seu marketing digital por aqui!

A tarefa de gerar engajamento nos principais canais do marketing digital exige comunicação adequada. É preciso saber observar e absorver as tendências!

“Observar e absorver”… Parece papo de zen-budista, mas, longe de qualquer mantra de relaxamento, essa lógica funciona quando tratamos de dedicar total atenção ao comportamento das marcas e consumidores nos principais canais do marketing digital.

Tudo se resume a observar as melhores práticas  e absorver os dados e insights que cada plataforma pode oferecer. Esse mecanismo contribui para a criação de campanhas e estratégias cada vez mais assertivas por parte de uma empresa de marketing.

Aqui é importante ressaltar a necessidade de adaptar a comunicação à lógica da plataforma e também ao momento de navegação do usuário. O que ajuda muito é o fato das plataformas apresentarem instrumentos para possibilitar um aprendizado na prática, como é o caso do Facebook for Business, por exemplo.

Conceitos e canais fundamentais para montar uma estratégia de marketing digital

Vamos listar a seguir alguns dos principais conceitos e canais, incluindo redes sociais, que podem ajudar a compor sua estratégia de marketing digital. Vale lembrar que não existe receita definida para galgar seu espaço. Cada negócio tem objetivos e necessidades particulares.

SEO (Search Engine Optimization)

A criação de uma persona de marca, o desenvolvimento de um discurso adequado ao canal em questão e a filtragem correta dos dados são três dos principais aspectos que vão permear a criação de conteúdo relevante e com foco nos objetivos principais (KPI’s) da sua empresa.

Estimular o tráfego orgânico a partir da divulgação de conteúdo relevante é uma das primeiras medidas adotadas para desenvolver um perfil de sucesso nos canais e mídias digitais. Cuidar do SEO traduz a preocupação da empresa com a forma que será percebida na internet .

De forma resumida, trata-se de definir as melhores práticas e estratégias para ranquear o seu site de maneira orgânica com um melhor posicionamento nos principais sites de busca. 

O Google, o maior buscador e provedor da internet, ranqueia todos os sites conforme a relevância.

Logo, façamos uma conta simples: descuido com SEO + comunicação inadequada nos canais = anonimato na rede.

De acordo com a Clutch Digital Marketing Survey 2018 , apenas 44% dos entrevistados admitiu investir em SEO como estratégia de campanha. Enquanto o  SEO concentra os menores esforços, Social Media (81%), Website (78%), E-mail (69%) e Ads (55%), colocados acima, completam o ranking.

Mas como lutar, e sobretudo vencer, as batalhas certas em SEO?

Google Analytics

Como o próprio nome sugere, o Analytics é a plataforma responsável por fornecer ao usuário uma série de detalhes à respeito das visitas e dos visitantes do seu site, facilitando análises e insights.

Através de seus recursos é possível aferir o número de visitantes, a localização dos visitantes, o tráfego dentro do site em determinado período de tempo, o novo visitante, o retorno de visitantes , a taxa de rejeição, entre outras métricas.

Indo mais afundo, o Analytics pode te ajudar a desvendar qual o caminho que o usuário percorreu até chegar no site, o que representa uma grande ajuda para definir as estratégias de marketing do seu negócio.

Outro recurso importante que a plataforma oferece ao usuário é a possibilidade de estipular uma meta e medir as taxas de conversão e venda relacionadas à cada campanha, visualizando dados provenientes de outras redes.

Google Ads

Acredita que, diante de tantos investimentos e aplicações, é justamente o antigo Google AdWords a plataforma responsável por gerar mais receita para a empresa?

De acordo com pesquisa divulgada em 2011 , o Google gerou 96% do total de US$ 37,9 bilhões faturados pela empresa a partir da plataforma de publicidade.

É através do Google Ads que se criam anúncios de diversos formatos (SEM, display, shopping, Google Play e Youtube), a serem publicados em portais e canais a partir da compra de inventário publicitário online.

SEM

No caso dos anúncios da rede de pesquisa, essa segmentação é feita através de palavras-chave. A compra dessas palavras chave, por sua vez, acontecem através de um leilão (real time bidding) que une estratégias de bidding com sua relevância de SEO.

Dica: entenda melhor como funciona o Ecossistema Digital aqui .

Google Display Network

Ainda dentro da plataforma do Google Ads, o Google Display Network ajuda a compor os pilares das campanhas online com uma rede de portais que reúne os espaços publicitários para os anunciantes.

A Rede de Display do Google apresenta um mar de possibilidades, compilando diversos sites e seus respectivos inventários publicitários (banner, superbanner, skyscraper, entre outros), para elaborar a estratégia de anúncios na intenção de divulgar uma marca ou produto.

Uma amostra da relevância dos anúncios na rede atualmente é o crescimento da publicidade digital no mobile, que já lidera os investimentos em relação à veiculação de anúncios no desktop.

A EMarketer  prevê que o mercado publicitário brasileiro vai movimentar US$ 4,55 bilhões em 2018, 17% a mais do que no último ano.  De acordo com o Research and Markets  a expectativa é que os serviços voltados aos dispositivos móveis acumulem globalmente US$ 218 bilhões em 2026, 24% a mais do que atualmente.

Dica: procure segmentar corretamente o público-alvo dos seus displays a partir dos insights oferecidos pelo Analytics, entendendo quais portais performam melhor para você divulgar a sua mídia. Além disso, o próprio Google Ads oferece diferentes caminhos para você testar.

Youtube Ads

A pesquisa Video Viewers 2018 , recente conduzida pelo Provokers e encomendada pelo Google, escancarou o aumento do consumo de vídeos on-demand no Youtube. A visualização na plataforma cresceu 135% nos últimos 4 anos no Brasil.

Atualmente, o brasileiro passa, em média, 19 horas semanais assistindo aos conteúdos disponíveis na plataforma. E a compra de anúncios no Youtube possibilita veicular peças em formato de vídeo (5s, 30s e até mais tempo), artes e banners animados.

Ainda é tempo de agarrar essa oportunidade!

Dica: teste mais de um público e análise a média de tempo assistido de cada um para entender qual a segmentação mais engajada. E não esqueça de produzir um thumbnail para chamar a atenção!

Google Shopping

Dependendo do objetivo do seu site, o Google Shopping representa uma possibilidade de retorno de investimento a curto prazo que pode trazer bons resultados ao estimular as vendas.

Se você tem uma loja virtual ou e-commerce, você pode usar o Google Merchant Center para vincular seus produtos e aumentar a receita.

Dica: se o gatilho do seu negócio for preço, não se esqueça de analisar os demais players, pois o seu concorrente pode estar ao seu lado com um preço mais competitivo.

Google Play

É possível, ainda, veicular seu anúncio nos principais provedores de aplicativo para Mobile, como Apple Store ou Play Store, dos sistemas iOS e Android, a partir de dimensões pré definidas.

Saiba: o anúncio pode estar nas seções da plataforma ou até mesmo dentro do próprio jogo – caso ele tenha inventário aberto para a venda de espaço publicitário. Os discursos, no geral, focam em incentivar o download e o uso dos aplicativos.

Dica: utilize o Firebase para analisar a jornada dos usuários, tanto antes quanto após a instalação do aplicativo.

Facebook

Se você ainda tem dúvidas sobre a relevância do Facebook enquanto rede social atualmente, pode desfazê-las neste momento.

Que ele se tornou mais um fórum de discussão do que qualquer outra coisa nos últimos tempos, todo mundo sabe.

Mas ele ainda serve para muita coisa! Apesar da desconfiança que o caso da Cambridge Analytica suscitou na mídia, a respeito dos perfis anônimos terem tido influência direta para a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, o Facebook ainda é uma mina de ouro quando a missão é traçar o perfil social de seu público alvo na rede.

A maior plataforma do mundo, com 2, 2 bilhões de usuários, oferece uma diversidade de filtros e segmentações baseadas no perfil social, que possibilitam uma comunicação direta e de forma assertiva com o consumidor em potencial.

Dica: em se tratando de uma estratégia de vídeo, opte por subir o conteúdo diretamente no Facebook (não ‘embede’ o link direto do Youtube).

Instagram

O Instagram chegou à casa dos 1 bilhão de usuários em 2018. O Brasil é o segundo país no mundo que mais tem usuários na plataforma: são cerca de 50 milhões de perfis.

Trata-se da rede que mais cresce no momento e as estatísticas comprovam isso. O Instagram é um dos canais que apresenta maior engajamento e impacto quando o assunto é o consumo de produtos e marcas.

De acordo com pesquisa desenvolvida pelo Retail Dive ,72% dos entrevistados admitiu ter feito compras após entrar em contato com algum conteúdo voltado às vendas no Instagram.

Dica: se você está começando um perfil profissional, não invente! Abuse das fotos reais, evite montagens muito forçadas e explore os diversos formatos que a plataforma oferece (stories, destaques, IGTV).

Linkedin

Não que as outras redes sociais acima não tenham foco profissional…

Mas entre todas as opções listadas, o Linkedin é o mais B2B de todos os canais. Pode apostar que aqui você vai encontrar um usuário engajado, que vasculha os detalhes, lê suas postagens, compartilha e interage com objetivos estritamente profissionais.

Segundo a Business Intelligence’s Digital Trust Surveyo Linkedin é apontado como uma das redes mais confiáveis para o compartilhamento de informações no que diz respeito à privacidade dos dados.

Alerta: o CPC é caro, mas o investimento vale a pena, pois o clique (quase sempre) é extremamente qualificado!

E-mail Marketing

O termo e-mail marketing traz uma conotação chata quase imediata, concorda?

Logo vem à cabeça aquela imagem da caixa de e-mail lotada com promoções e anúncios dos mais diversos tipos.

Mas tenha certeza: a efetividade de uma campanha de e-mail marketing não se mede pelo número de disparos.

A criação de um fluxo de automação dos e-mails é o que vai possibilitar uma comunicação coordenada com o interlocutor nos diferentes cenários da campanha, seja para comunicar novas ofertas, propor descontos, avisar de lançamentos da marca ou qualquer outro evento de relevância.

Dica: utilize uma plataforma de automação de marketing para entender o comportamento do seu lead e nutri-lo com mensagens assertivas para cada momento de sua jornada.

São diversas as possibilidades para estabelecer uma comunicação eficaz com o público-alvo em uma campanha de anúncios. Mas tenha em mente que os resultados não são imediatos. Uma rotina de testes é de fundamental importância – saiba mais sobre o porquê do Teste A/B aqui. 

Entenda os dados e adeque a linguagem. Adeque a linguagem e entenda os dados. Parece mantra de relaxamento. Mas não é.

Acesse o Creative Intelligence , o portal de conteúdo da Marketing Manager no Youtube, e fique por dentro das novidades!

Facebook Comments
  • 1
  • 346

0 Comentários

Leave A Comment

Seu e-mail não será publicado.

Newsletter